Exames laboratoriais durante a Covid-19: quais realizar e porque são importantes.

Entre a população brasileira, é muito comum o hábito de procurar por um serviço de saúde apenas quando algo não vai bem. Seja por falta de tempo ou comodismo, não é incomum uma pessoa ficar anos sem fazer sequer uma consulta ou um exame de sangue.


Em tempos de pandemia, os pacientes internados e em terapia intensiva realizam exames de sangue diariamente e, quando necessário, realizam mais de uma vez por dia.

Da mesma forma que uma pessoa internada com Covid-19 realiza exames frequentemente, muitas vezes diários, os pacientes que estão em recuperação em casa devem monitorar a evolução do seu quadro em conjunto com o médico que o assiste. Na grande maioria dos casos não há necessidade de se realizar quaisquer exames laboratoriais ou de imagem para os quadros considerados leve, mas eventualmente o médico pode solicitá-los caso haja algum sinal de gravidade.


E quais são esses exames que o médico utiliza para acompanhamento do paciente?


1 – Hemograma completo

Com o hemograma é possível acompanhar os níveis de leucócitos (os famosos glóbulos brancos, que são células de defesa), principalmente os níveis de linfócitos. Na COVID-19, níveis alterados como leucopenia (redução na contagem absoluta de leucócitos) podem ser observados, assim como leucocitose (aumento na contagem). Elevações muito expressivas também podem ocorrer, mas por vezes podem indicar uma infecção bacteriana secundária. São alterações inespecíficas mas que também auxiliam o médico na avaliação do prognóstico do caso.


2 – Transaminases (TGO/TGP)

Essas duas enzimas estão presentes em diversas células do corpo, mas em especial dentro das células hepáticas. Como a Covid-19 é uma doença iminentemente inflamatória, pode ocorrer comprometimento hepático, fazendo com que haja alteração na dosagem destas enzimas no soro.


3 – Dímero D

O dímero-D é um produto da degradação da fibrina, a principal proteína relacionada à formação de coágulos (trombos). Por isso, é um exame muito utilizado como marcador precoce para distúrbios trombóticos, como tromboembolismo pulmonar (TEP) ou trombose venosa profunda (TVP). Níveis elevados podem ser observados na COVID-19 sem que corresponda a estas complicações, mas em conjunto com a avaliação clínica realizada pelo médico este exame auxilia na decisão de ser solicitado exames de imagem (como angiotomografia de tórax) e/ou na administração de medicamentos anticoagulantes durante o tratamento.


4 – Creatinina

A dosagem de creatinina nos indica como está o funcionamento dos nossos rins. A função do rim é filtrar o sangue e eliminar as toxinas pela urina. Níveis elevados ou em progressão ascendente de creatinina podem indicar um quadro de insuficiência renal aguda, complicação relativamente comum na COVID-19.

Quando o paciente apresenta uma taxa de filtragem insuficiente, tanto a água quanto diversas toxinas e sais minerais acumulam-se no organismo e podem apresentar um risco de complicações cardiovascular como arritmias ou edema pulmonar. Clinicamente pode haver a presença de inchaço nas pernas e na face, mas que também pode se acumular líquidos nos pulmões e traduzir-se em falta de ar.


5 – Proteína C Reativa (PCR)

A PCR é uma proteína de fase aguda, sintetizada no fígado diante de um processo inflamatório. Sua concentração pode aumentar em até 100x em apenas 24 horas. Após a cura ou fim do processo inflamatório e não havendo cronicidade, o nível volta ao normal em 3/4 dias.

Esse exame é importante para acompanhamento do prognóstico da Covid-19 e acompanhar a evolução e a resposta ao tratamento.


6 – Procalcitonina (PCT)

A procalcitonina é uma proteína produzida pelas células presentes na camada medular da tireoide, porem não é encontrada em níveis muito baixos na corrente sanguínea. No entanto, seu aumento ocorre de forma expressiva quando há alguma infecção bacteriana. Da mesma forma, quando o tratamento adequado é realizado, sua queda indica sucesso de tratamento e, inclusive, auxilia na suspensão precoce do antibiótico. Por ser mais específica que a PCR no diagnóstico e acompanhamento de infecções bacterianas, a PCT tem sido utilizada em conjunto para auxiliar a confirmar/descartar estas complicações.


7 – Gasometria

A gasometria é o exame laboratorial mais importante para detecção e confirmação de alterações na função pulmonar do paciente com COVID-19. Uma vez que os principais órgãos acometidos pela Covid-19 são os pulmões, através desse exame de sangue é possível detectar níveis sanguíneos dos gases (O2 e CO2) e como está a oxigenação do organismo e o nível de acidose. Inclusive, este é o exame confirmatório que deve ser solicitado nos casos em que o oxímetro de pulso acusa uma saturação baixa.


Esse exame é muito importante para pacientes que realizam oxigenioterapia domiciliar, pacientes que estão com Covid-19 e já possuem doenças cardíacas e pulmonares prévias como pacientes com DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica).


Para pacientes em regime de oxigênio domiciliar de longo prazo, é interessante que se realize gasometrias periódicas (quinzenal, mensal ou trimestral) visando orientar eventuais ajustes e um acompanhamento mais eficaz do tratamento.


Exames aos finais de semana e sem sair de casa

O LabCK funciona todos os dias, inclusive aos domingos e feriados, facilitando para os pacientes que desejem ou precisem realizar exames laboratoriais. Eles podem ser realizados na sede do LabCK ou pela Coleta Móvel, que cobre a área de Curitiba e região metropolitana.


Para agendamento ou em caso de dúvidas, conte com a Assessoria Médica e Científica do LabCK pelo Whatsapp (41) 99992-0252.